O governo pediu ontem ao Supremo Tribunal Federal a anulação do impeachment, dizendo que houve “desvio de finalidade” do agora afastado Eduardo Cunha, responsável por comandar o processo na Câmara. Para a Advocacia-Geral da União, o peemedebista agiu por interesse próprio, movido por vingança. O ministro Teori Zavascki vai relatar o caso.

Advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo destacou no pedido um “precedente” no Supremo: o fato de o ministro Gilmar Mendes ter barrado a posse de Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil de Dilma dizendo que a nomeação era um “desvio de finalidade”.