O Senado decide hoje se afasta temporariamente Dilma Rousseff do cargo. A sessão começa às 9h e deve se estender até a noite, quando será realizada a votação em plenário. Se a maioria dos presentes disser “sim”, o vice Michel Temer assume o comando do país e o julgamento final da petista terá de ocorrer em até 180 dias.

Em 1992, no impeachment de Fernando Collor de Mello, o intervalo entre a autorização do processo pela Câmara e a votação do afastamento pelo Senado foi bem menor do que no caso de Dilma, 3 dias diante de 24 agora. Collor renunciou quase três meses depois de sua saída temporária do Planalto, a poucas horas do início do julgamento final.