Parlamentares aliados de Dilma, afastada do cargo em razão do processo de impeachment, pediram que o procurador-geral na República, Rodrigo Janot, investigue o ex-ministro do Planejamento Romero Jucá, que defendeu em gravações feitas em março um “pacto” para tirar a petista do Planalto e, dessa forma, “estancar a sangria” da Lava Jato.

Gilmar Mendes, que a partir de terça-feira passa a presidir a turma do Supremo responsável pelos casos de corrupção na Petrobras, disse ontem não ter interpretado as falas de Jucá como uma tentativa de barrar a investigação da Lava Jato.

Publicidade